A dismenorreia

    O QUE É?

    Durante o período, as raparigas e as mulheres podem, frequentemente, sentir dores menstruais, no abdómen e nas costas. O período doloroso, medicamente designado por dismenorreia, é muito comum entre todas as raparigas e mulheres. Uma em cada três tem-no.

    A dismenorreia pode ser classificada como primária ou secundária. A dismenorreia primária é aquela em que não existe nenhuma perturbação ginecológica que a cause. Falamos de dismenorreia secundária nos casos em que existe um motivo para a mesma, por exemplo uma mulher portadora de dispositivo intra-uterino, pólipos ou miomas no útero, quistos de ovário, endometriose e doença inflamatória pélvica. Na maioria das mulheres, a dismenorreia é primária. A dismenorreia secundária é pouco frequente. Quando uma mulher sente dores fortes que não passam com os tratamentos analgésicos convencionais, deve realizar-se um check-up ginecológico.

    AS DORES

    Podes sentir apenas um ligeiro desconforto ou dores intensas. Habitualmente, assemelha-se às cólicas. Podem começar no baixo ventre e abranger as costas ou pernas. Ou podes sentir-te tonta e com náuseas e, mesmo, ter diarreia ou chegar a vomitar. Se tiveres estes sintomas, deves consultar o teu médico. Muitas mulheres notam que as dores aparecem poucas horas antes do período vir e tornam-se mais ligeiras depois de se ter iniciado. No entanto, noutras, as dores persistem durante o segundo e, inclusive, o terceiro dia do seu período.

    O QUE É QUE AS PROVOCA?

    Todos os meses, a parede do útero cresce, como preparação para uma eventual gravidez. Se isto acontecer, o óvulo que foi fertilizado prende-se à parede para se alimentar e poder vir a converter-se num feto. Se não for fertilizado, o óvulo é expulso e começam a libertar-se substâncias chamadas prostaglandinas, que contraem o útero e facilitam desta forma o desprendimento do endométrio, que é expulso com a menstruação. Vários estudos provaram que as mulheres que sofrem de dismenorreia produzem uma quantidade excessiva de prostaglandinas no momento da menstruação e são extremamente sensíveis às mesmas.

    O QUE É QUE PODES FAZER?

    Existem muitas formas de aliviar estas dores. O truque está em descobrir aquele que resulta contigo. Se for possível, deita-te ao primeiro sinal de dor e aplica calor no teu abdómen. Um banho quente e relaxante também te ajudará, assim como massajar a zona que dói. Se as dores forem muito intensas e persistentes, consulta o teu ginecologista. O teu médico é a pessoa mais indicada para te dar conselhos ou para te recomendar algum tipo de tratamento personalizado. Não hesites em pedir a sua opinião.

    ATRASOS NO PERÍODO, PERÍODOS IRREGULARES OU POUCO FREQUENTES

    Em raparigas jovens, são bastante normais. São necessários vários anos para o ciclo menstrual e os períodos serem estáveis e, até então, podem existir intervalos irregulares. Se passarem mais de 6 semanas entre os períodos é algo que não deve preocupar-te - em princípio - durante os primeiros anos de período.

    A perda de peso, uma doença, mudanças na alimentação, uma atividade física excessiva ou o stress podem atrasar o período ou darem-te a impressão de que estás a "saltar" períodos.

    É muito importante que o aporte calórico seja o adequado para esta idade, já que, se não for suficiente, o teu organismo utilizará os nutrientes para o gasto energético e não para o desenvolvimento do teu corpo. Se estiveres no fim da tua vida fértil, este atraso também pode ser um sinal precoce da menopausa. Se o teu ciclo menstrual mudou, sangras entre períodos, os teus períodos desaparecem ou tens outros sintomas, deves consultar o teu ginecologista.

    PERÍODO ABUNDANTE

    Cada mulher tem um padrão de período diferente, pelo que não é fácil saber se a tua quantidade de fluxo é superior ao habitual, visto não ser simples compará-lo ou medi-lo. Apesar de tudo, se achares que é demasiado abundante, deves consultar o teu médico. Um período abundante não significa necessariamente que algo esteja mal. Por vezes, pode ser consequência do uso de um DIU ou da interrupção da toma da pílula contracetiva. Também é habitual um período abundante após um parto ou em mulheres que estão prestes a entrar na menopausa, mas se um período abundante vier repentinamente sem qualquer motivo óbvio, deves consultar o teu médico. A alteração pode estar a ser causada por um desequilíbrio hormonal, que é possível controlar com a toma de medicamentos, ou por outra causa que pode ser tratada.

    Artigo elaborado pelo Comité Médico de Saúde da Mulher Dexeus - Fundação Dexeus Saúde da Mulher.