O sistema reprodutor feminino e masculino

Uma vez iniciada a puberdade, todos os meses um óvulo maduro se desprende de um dos ovários.

Este processo designa-se por ovulação. Podem passar um ou dois anos até a ovulação ocorrer com regularidade. Quando esta for regular, o ciclo menstrual será mais previsível.

Quando um óvulo deixa o ovário, é agarrado por uma das trompas de Falópio. É então que viaja através da trompa em direção ao útero. A fertilização tem lugar se oespermatozóide estiver dentro do aparelho genital da mulher no momento da ovulação, e, se for o caso, fá-lo dentro da trompa de Falópio.

Quando uma mulher engravida, o óvulo fertilizado desenvolve-se no útero. Durante as primeiras semanas de vida, recebe o nome de embrião, e mais tarde, até ao momento do nascimento, é conhecido como feto.

O corpo da mulher prepara-se todos os meses para a eventualidade de ocorrer uma gravidez. O endométrio torna-se mais espesso para albergar um possível feto. Se o óvulo não for fertilizado, a mulher não engravida e o endométrio desfaz-se. O desprendimento deste tecido, acompanhado por uma pequena quantidade de sangue, origina o fluxo menstrual.

Enquanto uma mulher tem o período, o fluxo passa através da abertura do colo do útero (que tem o tamanho do bico de um lápis) e é expulso do corpo através da vagina. Normalmente, as paredes da vagina estão em contacto entre si e têm a capacidade de dilatarem muito, até permitirem o nascimento de um bebé. É devido à mesma característica que é possível introduzir um tampão com total comodidade.

Passemos a conhecer mais detalhes sobre os órgãos sexuais femininos:

1. Órgãos sexuais externos

Os teus órgãos sexuais encontram-se por baixo do abdómen, protegidos pelas ancas. Nesta etapa da tua vida, estão a mudar, visto ser outra das alterações da puberdade:

  • Pequenos lábios: duas pregas que protegem a entrada da vagina e a uretra. Neles existem glândulas que fazem com que se mantenham húmidos.
  • Grandes lábios: duas pregas cobertas de pêlos que protegem os pequenos lábios.
  • Clitóris: encontra-se no ponto de união dos pequenos lábios. Tem uma função sexual e é extremamente sensível devido ao grande número de terminações nervosas que possui.
  • Orifício uretral: encontra-se na zona genital, apesar da sua função não ser sexual. É uma abertura muito pequena através da qual expulsamos a urina para o exterior.
  • Orifício vaginal: Situa-se um pouco mais abaixo do orifício uretral. É a entrada para a vagina e encontra-se parcialmente tapada pelo hímen.
  • Hímen: uma membrana fina e muito flexível que dispõe de uma abertura para expulsar o fluxo vaginal e menstrual.

2. Órgãos sexuais internos

Os teus órgãos sexuais encontram-se por baixo do abdómen, protegidos pelas ancas. Nesta etapa da tua vida, estão a mudar, visto ser outra das alterações da puberdade:

  • Vagina: Liga o exterior do corpo com o útero ou matriz. Os seus músculos possuem uma grande elasticidade e o seu interior é húmido, graças ao fluxo vaginal, que evita as infeções e faz de lubrificante. Durante os primeiros anos de vida, a vulva tem um aspeto infantil; mas, com o início da secreção de estrogéniospor parte do ovário durante a puberdade, começa a ganhar um aspeto característico: os grandes e os pequenos lábios aumentam de volume, o tamanho do hímen aumenta e começa a aparecer o fluxo vaginal. Posteriormente, os lábios vulvares aumentarão ainda mais de volume. Ao mesmo tempo, vão crescendo pêlos por cima dos grandes lábios e da púbis.
  • Cérvix ou colo do útero: É uma abertura muito pequena, como a cabeça de um alfinete, que comunica com o útero e com a vagina. É pelo colo do útero que a menstruação é expulsa para o exterior.
  • Endométrio: É uma membrana que reveste o interior do útero e na qual o óvulo fecundado se implanta. Se não ocorrer fecundação, esta membrana é expulsa juntamente com uma pequena quantidade de sangue, renovando-se todos os meses. É nessa altura que tens o período.
  • Útero ou matriz: é um órgão muscular oco em forma de pêra que alberga o feto quando estás grávida, pelo que as suas paredes são muito elásticas. A parte que o reveste por dentro é o endométrio, um tecido rico em terminações sanguíneas.
  • Trompas de Falópio: são dois canais que estabelecem a comunicação entre os ovários e o útero. É através deles que o óvulo desce para a matriz durante a menstruação, como te explicamos noutro apartado, e é neles que, regra geral, se dá a fecundação quando o óvulo e os espermatozóides se juntam.
  • Ovários: são dois pequenos órgãos do tamanho de uma amêndoa. É onde os óvulos amadurecem e onde as hormonas sexuais, os estrogénios e a progesterona, são produzidas. Uma rapariga já nasce com cerca de 250 000 óvulos, que, na puberdade, começam a amadurecer.

COMO É QUE ELES SÃO?

  • Escroto: é um saco externo que alberga os testículos.
  • Testículos: são o equivalente masculino dos ovários. Produzem as hormonas sexuais masculinas e os espermatozóides.
  • Canais deferentes: conduzem os espermatozóides até às vesículas seminais.
  • Vesículas seminais: são duas estruturas em forma de saco que segregam o fluido seminal.
  • Próstata: é uma glândula que produz líquidos seminais. Os espermatozóides e o fluido seminal formam o sémen, que é expulso no momento da ejaculação.
  • Pénis: é um órgão esponjoso e cavernoso de forma cilíndrica . Tal como o clitóris, tem muitas terminações nervosas que aumentam na ponta, ou glande.
  • Uretra: é um canal que percorre o interior do pénis e por onde passa a urina ou o sémen quando o homem ejacula.

Artigo elaborado pelo Comité Médico de Saúde da Mulher Dexeus - Fundação Dexeus Saúde da Mulher.